segunda-feira, 9 de janeiro de 2012





40 ANOS DE HARMONIA E PAZ
POSTED BY EXÉRCITO UNIVERSAL ON 10:300 COMENTÁRIOS
Bispo Edir Macedo e Ester Bezerra celebram 40 anos de casamento. Em entrevista, contam como venceram as incompatibilidades e dão a receita para a felicidade conjugal

A palavra “casamento” é um substantivo masculino que significa “união legal entre homem e mulher para constituir família”. A Bíblia registra o primeiro casamento entre um homem e uma mulher (Adão e Eva) em Gênesis, o primeiro livro do Velho Testamento. De acordo com as Escrituras Sagradas, ambos foram colocados por Deus no Jardim do Éden com o intuito de procriar e povoar a Terra.




Com o passar dos séculos, entretanto, a instituição família foi se desvalorizando, perdendo sua essência. Vivendo em uma época em que o divórcio tornou-se ágil e fácil, muitos casais, hoje, não estão muito preocupados em buscar tal estabilidade, já que, ao sinal do primeiro problema ou incompatibilidade, a tolerância se esgota rapidamente e a separação é tida como a única solução.


Inovação, compreensão, sensibilidade, otimismo, fuga da rotina, respeito, cumplicidade e tantos outros detalhes são obrigatórios em um matrimônio; porém, sem fé e amor, uma união não se sustenta. É o que garante o bispo Edir Macedo, líder e fundador da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), casado com Ester Bezerra há 40 anos. Feliz e realizado, o bispo faz questão de salientar os inúmeros pontos negativos que envolvem um relacionamento, entretanto, ressalta que, quando a base da união matrimonial envolve fé e amor, não há divórcio ou separação que a alcance. Como qualquer casal normal, o bispo Macedo e a esposa Ester passaram por diversos problemas, entretanto, explicam, superaram um a um com inteligência, foco, fé, amor e, sobretudo, sacrifício. A seguir, eles detalham alguns pontos importantes e descrevem situações difíceis que viveram e de que forma as superaram.


Eles se conheceram na juventude e, desde aquela época, ambos professavam a fé em Deus, um ponto importante para a relação dar certo, garantem. De acordo com Ester, o que chamou sua atenção no futuro marido foi a intrepidez. Já o bispo Macedo afirma que a forma discreta dela (que pouco falava) e a família estruturada fizeram com que se tornasse um grande admirador da futura esposa.


“Ela era uma moça espiritual, fervorosa, fiel na Igreja. Vi que os pais eram bem casados e observei que era uma boa filha. Então, pensei: ‘Se ela é boa filha, vai ser boa esposa.’ E como eu era um bom filho, também seria bom esposo. Realmente o dia em que nos encontramos foi como se esperássemos um pelo outro há muito tempo”, relatou o bispo, durante entrevista ao programa The Love School, da IURD TV.





Dois problemas


“Há quem goste de guerra, mas eu gosto de paz. Eu sempre parti do seguinte princípio: sou um problema, ela é um problema. Então, se juntaram dois problemas, vivenciamos os nossos problemas, aprendemos com os nossos problemas. Aprendemos grandes lições com eles, graças a Deus. Com o passar do tempo, um vai se acostumando com o outro, aprendendo a sacrificar, a fim de usufruir do casamento. E isso traz paz. Quando estamos juntos, temos paz. Embora tenhamos gostos diferentes.”




Chegada dos filhos



“Na época em que nossa primeira filha nasceu, começaram os problemas. Apesar dos meus 27 anos, eu era infantil, por isso ficou bem complicado. Ela (Ester) passou a dedicar-se à criança e eu me isolei, daí tivemos tempos difíceis, mas superamos, vencemos. Usei o raciocínio: quem é inteligente sabe que o casamento é a base do sucesso de uma pessoa. Se temos um casamento sólido, temos condições de construir qualquer coisa; ou seja, se o marido está bem com a esposa, ele está bem consigo, tem paz dentro de casa e forças para seguir adiante e conquistar.”




Imposições


“Uma das coisas que mais odeio na vida é ser obrigado a fazer alguma coisa. Eu odeio isso! Por conta desse ódio que tenho de opressão, eu odeio oprimir, odeio impor a minha vontade. Se eu quero fazer algo para você, tenho de fazer por espontaneidade, se for obrigado, já me tira a paz. Então, por eu ser assim, também exijo que as pessoas façam de acordo com a vontade delas. Não obrigo nada a Ester, tampouco gosto que me obriguem a qualquer coisa.”




Solidez



“Nós trabalhamos com a cabeça, não com o coração, essa é a realidade. Esse me parece ser o segredo do casamento. O segredo não é olhar beleza, juventude, virilidade, pois depois que casa, fica naquele ‘arroz com feijão’; toda aquela beleza, suntuosidade e glamour acabam.”



Texto retirado do Exército Universal

Nenhum comentário:

Postar um comentário